Energia Solar

Dessalinização da Água do Mar com o Uso da Energia Solar

21 maio, 2019

A água é o recurso mais essencial para a manutenção da vida na terra. O globo terrestre é constituído por 70% de água e apenas 30% de terra firme. Desses 70% de água, apenas 2,5% é água doce e o restante se constitui por água salgada.

Sendo assim a escassez de água potável se tornou um problema que atinge boa parte da população mundial. Essa preocupação que vem crescendo cada vez mais, mesmo em países onde a água doce ainda é considerada um recurso abundante, como o Brasil.

Uma das soluções encontradas para aumentar a oferta de água é a dessalinização da água do mar, um processo que retira todo o sal da água, deixando-a própria para o consumo.

O problema é que todo o processo de dessalinização consome muita energia elétrica, o que faz com que os custos desse sistema sejam bastante elevados. É aí que entra a energia fotovoltaica, que vem sendo usada como principal alternativa para reduzir os custos e viabilizar a utilização dessa tecnologia.

 

Dubai Está Investindo em Projeto de Dessalinização Movida a Energia Solar

 

Recentemente, a cidade de Dubai – nos Emirados Árabes – anunciou a construção de uma nova usina de dessalinização de água que vai utilizar a energia solar para fornecer a energia necessária para o funcionamento da unidade.

 

Dubai_solar_farm_banner_GCC
Usina de dessalinização da água do mar, utilizando energia solar fotovoltaica em Dubai.
Fonte: Cults e Raridades

 

Os Emirados Árabes – assim como os demais Estados do Golfo Pérsico – precisam dessalinizar a água do mar para garantir o fornecimento de água potável para a população. E, até então, a maior parte da energia elétrica consumida nesse processo era proveniente das usinas movidas à base da queima de combustíveis fósseis – uma solução de alto custo e extremamente prejudicial à saúde e ao meio ambiente.

Segundo o projeto, previsto para ser inaugurado em 2024, a planta fotovoltaica terá capacidade de geração de aproximadamente 10 mil megawatts e contará com sistemas de baterias para armazenar a energia produzida e possibilitar o funcionamento da usina durante o período noturno.

A estimativa é a de que a usina de dessalinização movida a energia solar terá a capacidade de produção de 2,1 bilhões de litros de água por dia.

 

E no Brasil?

 

No Brasil, o estado de Pernambuco vem se destacando na utilização da energia solar para a dessalinização a água.

 

Unidade de dessalinização de água da compesa
Unidade de água, da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).
Fonte: Compesa.

 

Em janeiro de 2019, foi instalada a primeira unidade de geração de energia fotovoltaica voltada para alimentar um dessalinizador na ilha de Fernando de Noronha.

Mas, diferentemente do grandioso projeto de Dubai, o sistema pernambucano é on-grid, ou seja, é ligado à rede de energia elétrica e poderá exportar o excedente de energia produzido, ao invés de armazená-lo em baterias.

Há planos de ampliação desse modelo de dessalinização, com a instalação do sistema de geração de energia solar em outras duas unidades do estado, um com 75 e o outro com 230 kWp (quilo-Watt pico) em Olinda, região metropolitana de Recife e a outra localizada na região central de Recife.

smart grid