Curiosidades

Conheça o primeiro avião movido à energia solar que deu a volta no planeta

26 março, 2019

O céu foi o limite para estes dois pilotos suíços que tiveram uma ideia inovadora: dar a volta no planeta com um avião movido à energia solar.

Essa história é um pouco antiga já que eles atingiram esse objetivo em 2016. Mas ainda assim é muito válido falar das conquistas da energia solar. São elas que mostram como a tecnologia por trás disso está se desenvolvendo bem rápido.

Então, confira neste post mais sobre o projeto. Como eram as características do avião, e toda a trajetória que ele percorreu.

 

Um projeto de dois pilotos

 

Os idealizadores dessa ideia inovadora foram Bertrand Piccard e André Borschberg, dois pilotos suíços que se revezaram para pilotar o Solar Impulse 2 durante 23 dias.  

Segundo Piccard, esse projeto não era algo inovador para a aviação, mas sim para a história da energia. Os dois tinham o objetivo de mostrar que as fontes de energia limpa podem suprir todo o nosso consumo energético.

O avião que eles utilizaram foi o Solar Impulse 2, que não faz ruído e não utiliza nenhum tipo de combustível fóssil. Ele foi equipado com mais de 17 mil células solares. Elas alimentaram as 4 baterias de lítio que controlam todo o sistema. Comparando o avião com um Boeing 747 que pesa 153 toneladas, o Solar Impulse 2 é super leve, pesando em torno de 2,3 toneladas.

 

A trajetória do avião movido à energia solar

 

O trajeto do avião foi marcado por vários sucessos, mas no começo ele acabou passando por problemas. O percurso começou em março de 2015, mas acabou sendo pausado em julho do mesmo ano no Havaí. O motivo foi porque as baterias começaram a falhar, e os pilotos tiveram que correr atrás de mais investimentos para continuar a sua missão.

O avião partiu de Abu Dhabi, a capital dos Emirados Árabes Unidos para percorrer o total de 43.041km. Eles pararam em Omã,  Índia, Myanmar, China, EUA, Espanha e Egito, totalizando 17 paradas nesses países. O trajeto acabou com o Solar Impulse 2 pousando nos Emirados Árabes Unidos de novo.

O trecho mais desafiador da viagem foi cruzar o Pacífico. Do Havaí até San Francisco deu um total de 62,5 horas pilotando. Picard disse que na última etapa do percurso, ele teve que voar em altitudes elevadas para evitar turbulências.

 

Um futuro de energia limpa

 

Em Julho de 2016 os pilotos finalizaram a sua jornada e comemoram nas redes sociais. O secretário geral da ONU, Ban-Ki Moon, homenageou os pilotos pela vitória, dizendo que esse seria um dia histórico para a humanidade.

Ele também frisou a importância do objetivo dos pilotos, dizendo que “Vocês podem estar terminando o seu voo agora, mas a jornada por um mundo mais sustentável está apenas começando”.

 

A energia solar se desenvolve muito rápido e atinge novos horizontes além dos habituais telhados residenciais. Essa volta no planeta que os habilidosos pilotos fizeram, vão ajudar a trazer mais energia limpa para o nosso futuro.

Além dessa existem muitas outras ideias inovadoras que utilizaram a energia solar. Um bom exemplo são os painéis solares transparentes que você conhece mais sobre lendo este post

 

avião movido à energia solar